Violência no Rio de Janeiro


Após ocupar pela força as favelas dominadas por traficantes de drogas, as autoridades do Rio de Janeiro, desta vez pensam em um plano diferente, baseado na segurança policial e na inclusão social. E para esse primeiro, escolheram como cenário o Morro dos Macacos, uma perigosa favela que conta a partir de agora com um quartel policial permanente para garantir a paz em suas ruas e impedir que os criminosos retomem o controle da área. Este trabalho social no Morro dos Macacos vai ficar a cargo de uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), similar às que já havia sido instalado em outras 12 favelas da cidade com o fim de impor a ordem nos bairros e reduzir os índices de violência que geralmente transformam o Rio de Janeiro em um palco de guerra, como ocorreu nos últimos dias.
Localizado na zona norte da cidade, o Morro dos Macacos sempre foi uma pedra no sapato da Polícia Militar principalmente no ano passado, quando um grupo de traficantes derrubou um helicóptero policial que tentava pôr fim em um tiroteio entre facções rivais, deixando três tripulantes mortos e três feridos e aumentando o medo entre os moradores local.
A instalação da UPP no Morro dos Macacos acontece algumas horas depois que cerca de 2.600 homens de diferentes forças de segurança tomaram o Complexo do Alemão, um conjunto de favelas que durante décadas foi dominado por
 traficantes que impunham sua lei aos habitantes da área e a tempo vinha desafiando o governo estadual e federal. Na inauguração do posto policial, dezenas de moradores mostraram seu apoio ao programa iniciado em dezembro de 2008 com a pacificação do Morro Dona Marta, encravado na zona sul carioca.
É uma iniciativa muito boa. Mas, a pergunta que fica é se teremos mais tranqüilidade, principalmente para os eventos esportivos que o Brasil inteiro e principalmente a cidade do Rio de Janeiro vai organizar nos próximos anos. Não podemos esquecer que a cidade do Rio será uma das sedes da Copa do Mundo de 2014 e anfitriã dos Jogos Olímpicos de 2016 e para que aconteçam esses eventos na cidade, temos que ter a PAZ como um requisito fundamental entre estado e população, uma sintonia que tem que estar perfeitamente afinada.   
            Não podemos culpar toda essa violência pelo simples fato da pobreza, mais também pelo poder de comprometimento dos nossos políticos que geralmente esquece que são empregados do povo e devem trabalhar para o povo e dar condições de vida a população para melhorar substancialmente dia após dia, não só na segurança mais também como pessoa, como cidadão brasileiro.

Postagens mais visitadas